Matriculas Abertas

Pálido Ponto Azul

Aviso para a Tripulação:

Todo o material que vamos escrever durante nossa jornada pela América do Sul tem como base textos, livros e artigos científicos escritos por pessoas que dedicaram grande parte de sua vida para decifrar as entrelinhas do código oculto da Natureza. Nossa missão é repassar esse conhecimento de uma maneira divertida e estimulante para vocês.

Durante a viagem vamos enviar textos interdisciplinares, fotos, vídeos, mapas e todo tipo de informação e material que façam vocês se sentirem parte da nossa tripulação nessa jornada.

Queremos a ajuda de vocês para questionar, analisar e desvendar os mistérios dessa longa viagem que estamos prestes a embarcar.

“Milhões viram a maçã cair, mas foi Newton quem perguntou por quê” (Bernard M Baruch)

E nós, como bons amantes da ciência também adoramos filmes de ficção científica, cultura pop, HQs, musica, poesia e etc. Assim que, podem ter certeza que vocês encontrarão referências diversas sobre esses temas em nossos textos e nós temos certeza que vocês, seres humanos com o telencéfalo desenvolvido e polegares opositores serão capazes de distinguir ficção da realidade em nossos escritos.

Um Pálido Ponto Azul

 

A Terra, o útero de toda forma de vida que conhecemos hoje, nosso refúgio sagrado, um diminuto Oasis que sacia todas nossas necessidades no meio da vastidão de um escuro e silencioso deserto.

Nem sempre a Terra foi tão acolhedora, hoje voltaremos à cerca de 4,5 bilhões de anos no passado e vamos ver como o céu, a terra e a vida foram forjadas nas fornalhas mais quentes do Universo.

Vem com a gente para entenderem como através do fogo, gelo e rocha nosso planeta tornou-se esse pálido ponto azul que hoje chamamos de casa.

(Foto tirada no dia 7 de dezembro de 1972, enquanto a tripulação do Apollo 17 rumava em direção a Lua)

Que incrível é o nosso planeta! Olhem com carinho para essa foto, nela podemos ver o imponente continente africano: vemos a Etiópia, Quênia e a Tanzânia onde viveram nossos primeiros antepassados.  Mais acima podemos ver o Oriente Médio, região que foi palco de horríveis massacres, das cruzadas, berço de grandes matemáticos e filósofos. Podemos também, ver o grande deserto do Saara e ao extremo sul da foto o gelado continente Antártico. (Por pouco não vemos o caminho que vamos percorrer com a Mafi).

No entanto nem sempre nosso planeta foi assim, há cerca de 4, 5 bilhões de anos atrás era mais fácil confundirmos nosso planeta com uma bola de fogo e magma incandescente cuja temperatura chegava em 12.000ºC. Nessa época viver no nosso querido planeta era impossível, além da temperatura ridiculamente alta a atmosfera do planeta era formada principalmente por dióxido de carbono, nitrogênio e vapor d’água, ou seja, totalmente tóxica. E se não bastasse esses dois fatores a Terra nesse período era constantemente massacrada por asteroides e outros planetas em formação que de tempos em tempos entravam em rota de colisão com ela.

(Representação da Terra durante sua formação)

Com o passar de milhões de anos a Terra foi se resfriando possibilitando a formação de uma superfície rochosa, nossa lua já orbitava o planeta e devido a milhares de asteroides, carregados de água no estado sólido, que bombardearam incansavelmente nosso querido planeta já havia água no estado liquido. Talvez agora alguns de vocês estejam se perguntando se também já existia vida em nosso planeta. Para facilitar essa resposta vamos tomar a liberdade de pegar os 13 bilhões de anos que o universo possui e comprimi-los em um calendário atual, como esses que nós temos atrás da porta da sala ou pendurados na geladeira da cozinha, sendo assim cada mês desse nosso calendário cósmico teria algo perto de 1,1 bilhão de anos.

(Calendário cósmico, desde o Big Bang até os dias de hoje)

A vida na Terra surgiu somente em Setembro desse nosso calendário, quase no final desse mês para ser mais exato. A primeira manifestação de vida no nosso planeta estava muito distante dos seres mais simples que conhecemos hoje. A vida surgiu em um nível molecular e se encontrava nos imensos oceanos do planeta. Com o passar de milhões de anos essas moléculas orgânicas foram se tornando mais complexas e aprenderam a criar cópias de si mesmas.

Dessas moléculas mais complexas surgiram cianobactérias que realizavam fotossíntese para gerar energia. Galera para tudo, essas bactérias de 3,5 bilhões de anos atrás são as responsáveis por vocês estarem aqui hoje! Sabem por quê? Porque foram elas que encheram nosso planeta de oxigênio, através do processo da transformação de energia luminosa em energia química (A queridona da Fotossíntese). Elas capturavam Dióxido de carbono e liberavam Oxigênio, a partir desse “simples” processo transformaram nossa atmosfera, ajudaram no resfriamento do planeta e ainda por cima foram responsáveis pela coloração azul de nossos oceanos que tinham uma cor verde devido às altas quantidades de ferro. Desculpem a empolgação, mas isso é demais, essas bactérias, também conhecidas como estromatólitos mudaram todo o destino de nosso planeta.

(Fragmento de estromatólito)

Isso tudo ocorreu aproximadamente no dia 12 de Novembro do nosso calendário.  A partir de então nosso planeta passou por diversos eventos climáticos que resultaram tanto na extinção de mais de 90% das espécies do planeta como também no surgimento de centenas de milhares de novas espécies. Passamos por eras glaciais que transformaram o planeta numa bola de neve (literalmente falando), por erupções de cadeias de vulcões que duraram mais de milhões de anos, por colisões de cometa que extinguiram os dinossauros e consequentemente permitiram a hegemonia dos mamíferos  em todos os continentes.

A partir de agora vamos colocar os acontecimentos de nosso calendário cósmico em forma de lista… tirem suas próprias conclusões;

– 24 de Dezembro – Surgimento e extinção dos Dinossauros (Nada de presentes para eles no Natal)

– 29 de Dezembro – Surgimento dos primeiros primatas

– 31 de Dezembro (22h: 30min) – Os primeiros humanos caminham no planeta

– 31 de Dezembro (23h: 46min) – Domesticação do fogo

– 31 de Dezembro (23h: 59min) – Surgimento da Agricultura

– 31 de Dezembro (23h: 59min 55mil) – Nascimento de Buda, Atenas governada por Péricles

– 31 de Dezembro (23h: 59min 56mil) – Surgimento dos jogos Olímpicos, do Império Romano e o nascimento de Cristo

– 31 de Dezembro (24h: 00min 00mil) – Desenvolvimento da ciência, Revolução Francesa, I e II Grande Guerra Mundial, chegada do homem à Lua, criação do Iphone e a exibição dos Vingadores Guerra Infinita nos cinemas.

E ai? Sentiu essa bordoada? Estamos escrevendo nossa história nesse Universo nas últimas duas horas de nosso calendário cósmico. Deu pra ter ideia da dimensão da parada? Ainda não? Então vamos deixar pra vocês um trecho do maravilhoso livro do Carl Sagan chamado Pálido Ponto Azul. Desfrutem:

“(…) Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, “superastros”, “lideres supremos”, todos os santos e pecadores da historia da nossa espécie, ali – num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pesem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus frequentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância, a ilusão de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, em meio a toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. A Terra é, até agora, o único mundo conhecido que abriga a vida. Não há nenhum outro lugar, ao menos no futuro próximo, para onde nossa espécie possa migrar. Visitar, sim. Goste-se ou não, no momento a Terra é o nosso posto. Tem-se dito que a astronomia é uma experiência que forma o caráter e ensina humildade. Talvez não exista melhor comprovação da loucura das vaidades humanas do que esta distante imagem de nosso mundo minúsculo”.

“Para mim, ela sublinha a responsabilidade de nos relacionarmos mais bondosamente uns com os outros e de preservarmos e amarmos o pálido ponto azul, o único lar que conhecemos”.

(Planeta Terra fotografado pela sonda Voyager1 )

 

Chegamos ao final do nosso primeiro texto durante a viagem, alguns de vocês podem estar se perguntando; “Que diabos a formação do planeta tem a ver com essa expedição deles?” E a resposta é: TUDO!

Sem um planeta estabilizado e habitável fica muito mais complicado fazer um passeio de Kombi. Bom agora que já conhecemos a origem da Terra, podemos avançar para os próximos textos e para novas paisagens em nossa jornada. Espero que tenham gostado e qualquer dúvida perguntem ao Google, hahahahah mentira.  Mandem suas dúvidas para a gente que será um prazer responde-las, ou ao menos tentar.

 

Vida longa e Próspera

 

 

Quer saber mais sobre esses temas? Ai vão as referências de onde buscamos as informações que estão no texto.

– NerdCast 144 – Jovem Nerd
– Nerdologia nº 39 – Centro da Terra
– Cosmos – Carl Sagan Ep. 2
– Um Pálido Ponto Azul – Livro escrito por Carl Sagan
– Para Explicar o mundo – Steven Weinberg